Da roda à modelagem computadorizada: a construção civil e seus ciclos evolutivos

Da roda à modelagem computadorizada: a construção civil e seus ciclos evolutivos

A 2ª década do milênio consolida tecnologias desenvolvidas ao longo do tempo - ganha quem constrói, habita, trabalha e utiliza plenamente os frutos da inovação no setor

Se tem algo que simboliza e representa, na história, o estágio em que uma sociedade se encontra, são suas construções. Basta ver o que a mente traz primeiro quando queremos pensar em um tempo diferente, por exemplo, o passado distante e suas obras fantásticas.

Na antiguidade, construções hoje consideradas Maravilhas do Mundo, como as Pirâmides de Gizé, no Egito, ou a Grande Muralha, na China, só foram possíveis por conta de saltos tecnológicos incríveis da época, como a invenção da roda, que simplificou o transporte de materiais mais pesados, poupando mão de obra e acelerando a realização desses verdadeiros marcos de engenharia e arquitetura da humanidade.

Passados mais de 5.000 anos, a construção segue evoluindo e trazendo novos feitos. Diferentes materiais, texturas e altitudes, edifícios ‘inteligentes’, arquitetura mais complexa ou simples permeiam nosso campo de visão. Mas o que, de fato, avança com mais velocidade, não é tanto o que é visto, mas o que está por trás dessas obras, o que as viabiliza, seus bastidores - o setor de construção civil, seus profissionais e seu trabalho.

Hoje em dia, o exercício de “futurismo” nem precisa ser muito grande, já que a visão e a técnica dessa indústria se consolidam no mercado com tecnologias extremamente inovadoras, e que ditarão os próximos grandes saltos nessa evolução.

O futuro já chegou...

O papel da TI aplicado à construção civil tem aumentado, em especial na gestão de equipamentos para otimizar a segurança nos canteiros. Diversas empresas já estudam, desenvolvem e oferecem serviço de monitoramento de máquinas, por exemplo, por meio da tecnologia Radio Frequency Identification (RFID) administrada por software.

O modelo se mostra eficiente ao identificar e localizar equipamentos por sua posição na planta da obra, com relatórios que trazem características das máquinas e apresentam dados como nome, local, marca, material, estado de conservação, previsão de revisão e responsável. Estudos ainda mostram que é possível, por RFID, verificar o uso de EPI no canteiro, com alertas em caso de utilização incorreta.

Outro advento que estará mais presente no universo da engenharia daqui em diante serão os drones, com capacidades para, além de mapear a área do projeto, avaliar viabilidade e gerar pré-projetos, poderão acompanhar e documentar a evolução da obra com fotos, além até de direcionar sensores a máquinas, como os termais, capazes de inspecionar excesso de calor, inclusive em estruturas, sanando o problema em tempo real, com grande economia de tempo e recursos.

Já o Building Information Model (BIM), conceito de modelagem da informação na construção, tem se consolidado no setor, permitindo que o planejamento, desenvolvimento, construção e gerenciamento de uma construção e sua infraestrutura com eficiência, por meio de um modelo 3D idêntico ao que se deseja construir, pelo o uso de ferramentas digitais, e interagindo com Realidade Virtual (VR) e Realidade Aumentada (AR).

…e está na M&T Expo!

Na feira que acontece que acontece de 5 a 8 de julho de 2021, em São Paulo (SP), será possível ver de perto estes e outros indicativos de que a inovação em componentes e serviços para a construção civil segue a todo vapor.

O melhor em soluções tecnológicas de ponta estará à sua disposição, inclusive com demonstrações práticas em área dedicada, na área externa ao pavilhão da M&T Expo, maior feira da América Latina para as Indústrias de Construção e Mineração.

Não perca a oportunidade de conhecer estas e outras novidades e faça parcerias com grandes marcas e profissionais do setor: clique aqui e, quando abrirmos o credenciamento, você será receberá o aviso em primeira mão, por e-mail.

E não deixe de ler nosso blog para acompanhar essas e outras informações!