Equipamentos para obras na orla de Matinhos chegam ao canteiro

Equipamentos para obras na orla de Matinhos chegam ao canteiro

Por: Santelmo - M&TExpo

A ampliação da faixa de areia deve começar no próximo mês de julho e a expectativa é que a intervenção fique pronta antes da temporada de verão 

Na última segunda-feira (14), chegaram ao canteiro de obras os primeiros tubos que serão usados na ampliação da faixa de areia da orla de Matinhos, município do litoral do Paraná. As peças, que têm 12 metros de comprimento e pesam 12 toneladas, foram transportadas durante o final de semana. Também nessa etapa do trabalho deve acontecer o recebimento das escavadeiras, tratores e rebocadores que moverão os materiais para o mar. A expectativa é que a dragagem levará para a praia 2,7 milhões de m3 de areia ao longo de 6,3 quilômetros.

Responsável pela realização da obra, o Consórcio Sambaqui também está atualmente contratando os profissionais que atuarão no projeto, montando o escritório e estruturando o cronograma das atividades (que pode passar por alterações). O plano inicial é que a dragagem comece em julho próximo e tenha duração de 12 semanas, aproximadamente. "É um projeto emblemático e que entra finalmente no período de mobilização”, diz o governador Ratinho Junior, afirmando que Matinhos estará modernizada e mais segura contra ressacas.

Já Márcio Nunes, secretário de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, indicou que a chegada do maquinário é um marco para a obra que transformará o litoral paranaense. “O começo da dragagem depende de toda a estruturação e os trabalhos para isso já estão sendo realizados”, explica o responsável pela pasta. “Iniciaremos a dragagem para não existir o risco de a praia estar com as obras em andamento no próximo verão. Nossa intenção é que a população possa desfrutar da praia com a nova faixa de areia já na temporada de 2022 e 2023”, complementa.

O projeto 

A revitalização da orla de Matinhos acontecerá em duas etapas e receberá R$ 500 milhões em investimentos. Na fase inicial, orçada em R$ 314,9 milhões, acontecerá a engorda da faixa de areia a partir de aterro hidráulico, além de serviços de execução de estruturas marítimas semirrígidas, de canais de macrodrenagem e de redes de microdrenagem. Será realizada, ainda, a recuperação urbanística da orla marítima com o plantio de espécies nativas da região. 

Essa fase do projeto será responsabilidade da empesa belga Jan de Nul, que faz parte do Consórcio Sambaqui. Trata-se da mesma companhia europeia que executou, recentemente, a ampliação da faixa de areia da praia de Balneário Camboriú, no litoral de Santa Catarina.